Prefeitos de 11 cidades vão participar de cerimônia com a presença da deputada Leandre, o governador Ratinho Junior e da representante da OMS no Brasil Dra Socorro Gross, dia 15 de Março, no Palácio Iguaçu

Em reunião nesta quarta-feira (17) no Palácio Iguaçu, a deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR) e o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, definiram a data de entrega dos certificados aos 11 municípios paranaenses que foram aceitos na rede mundial de Cidades Amigáveis às Pessoas Idosas da OMS (Organização Mundial da Saúde).

A cerimônia de entrega dos certificados será no dia 15 de Março, respeitando as normas de segurança sanitária, no Palácio Iguaçu, com a presença dos prefeitos dos municípios certificados, da deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR), do governador, e de representantes da OMS no Brasil.

Os 11 municípios certificado são: Chopinzinho, Sulina, Itapejara d´Oeste, Dois Vizinhos, Nova Esperança do Sudoeste, Realeza, Pérola do Oeste, Santo Antônio do Sudoeste, Renascença, Bom Sucesso do Sul, e Santa Tereza do Oeste.

Todo o processo de certificação destes municípios teve o acompanhamento do mandato da deputada Leandre, tendo como base um modelo inovador, testado e aprovado no município de Pato Branco, com a participação da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), Clubes de Rotary, e Conselho Municipal do Idoso. Pato Branco foi o primeiro do Paraná e terceiro município do Brasil a receber o certificado de Cidade Amiga da Pessoa Idosa, em 2018.
 
“No início de fevereiro, estive na sede da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde, em Brasília, para tratar deste evento. E, na oportunidade, além destes municípios certificados, recebemos uma garantia de apoio da OPAS/OMS na certificação de novas cidades amigas dos idosos em nosso Estado”, afirmou Leandre.

Conheça o Programa


O programa Cidades Amigáveis às Pessoas Idosas da OMS possui estratégias locais, abrangendo várias frentes da sociedade para preparar os municípios e garantir ambientes que acolham as alterações físicas e sociais decorrentes do envelhecimento.  Essa visão também beneficia outras fases do curso de vida dos cidadãos, tornando as cidades amigáveis, não apenas para os idosos, mas para todas as pessoas que vivem nela. Afinal de contas, todos os cidadãos estão em constante processo de envelhecimento.
Fonte: Assessoria de Imprensa
Link Encurtado:
https://bit.ly/37r6WQb